segunda-feira, junho 23, 2014

Não tinhas
 nome.Existias
como um eco
do silêncio.Eras
talvez
uma pergunta
do verso.

Albano Martins

Sem comentários: