sábado, novembro 30, 2013


Pedra aberta ao que transe e luze e desaparece:
A cidade nocturna enfia no Douro algumas pérolas,

A ponte que separa vibra, e a água do rio a estrada esquece
[...]
Vitorino Nemésio