sexta-feira, outubro 21, 2011

segunda-feira, outubro 17, 2011

Metamorfose

Para a minha alma eu queria uma torre como esta,
assim alta,
assim de névoa acompanhando o rio.

Estou tão longe da margem que as pessoas  passam
e as luzes se reflectem na água.

E, contudo, a margem não pertence ao rio
nem o rio está em mim como a torre estaria
se eu a soubesse ter... 
                                  uma luz desce o rio
                                  gente passa e não quer sabe
 que eu quero uma torre tão alta que as aves não passem
                                                       as nuvens não passem
                                                       tão alta tão alta
que a solidão possa tornar-se humana.



Jorge de Sena



taken by me

sexta-feira, outubro 07, 2011

# 18 _Projecto Poemagem (2º)

                                                                         Photo by Adriana O. / Texto de Cris H.



Pensar que o dia se fez hora nas tuas mãos onde acabaram por morrer todos os meus sons e todos os meus silêncios.