quinta-feira, março 18, 2010

# 6 Poemagem

# 6

photo by Josef Koudelka






O valor do vento


Está hoje um dia de vento e eu gosto do vento
O vento tem entrado nos meus versos de todas as maneiras e
só entram nos meus versos as coisas de que gosto
O vento das árvores o vento dos cabelos
o vento do inverno o vento do verão
O vento é o melhor veículo que conheço
Só ele traz o perfume das flores só ele traz
a música que jaz à beira-mar em agosto
Mas só hoje soube o verdadeiro valor do vento
O vento actualmente vale oitenta escudos
Partiu-se o vidro grande da janela do meu quarto



Ruy Belo,
in
Todos os poemas,

2 comentários:

AM disse...

Eis quanto vale um sopro de vento, um assobiar fininho entre a portada, eis quanto vale um pequeno pedaço de nada...

AM disse...

Eis quanto vale um sopro de vento, um assobiar fininho entre a portada, eis quanto vale um pequeno pedaço de nada...