quinta-feira, setembro 25, 2008

dri
Foto da Dri




Apenas um cigarro



As palavras são as mesmas
mas deixei de saber o tempo
para chegar a ti
durante meses e meses
tinha perdido o hábito

as histórias que de noite sonhas
o evidente esplendor que depois
não tomou nehuma forma

que razão é a deste amor
que tanto se confunde
com o medo

não dizias nada
tinhas de repente uma pressa desesperada
como quem do mundo inteiro
pretendesse apenas
um cigarro.

*

José Tolentino de Mendonça
in
A noite abre os meus olhos

2 comentários:

AM disse...

um cigarro apenas... ou um sopro...

Adriana Oliveira disse...

Que lindo o poema :) Obrigada amiga, é uma honra ilustrar o teu espaço! Bj