quinta-feira, abril 10, 2008

MOLHE
Foz do Douro_molhe
Porto





FOTOGRAFIA DO PORTO
*
O Porto é uma menina a falar-me de outra idade.
Quando olho para o Porto sinto que já não sou capaz
de entender a sua voz delicada e, só por ouvir, sou
um monstro que destrói. Mas os meus dedos são capazes
de tocar-lhe nos ombros, de afastar-lhe os cabelos.
Entre mim e o Porto, existem milímetros que são
muito maiores do que quilómetros, mesmo quando
os nossos lábios se tocam, sobretudo quando os nossos
lábios se tocam. De que poderíamos falar, eu e o Porto,
deitados na cama, a respirar, transpirados e nus?
Eis uma pergunta que nunca terá resposta.
.
José Luís Peixoto
in
"Gaveta de Papéis"
*


Roubado daqui Quintas de Leitura

4 comentários:

blue kite disse...

Oh MY GOD!!!

Tu devias ter-me avisado disto! Não se vem aqui às 9 horas da manhã para se apanhar um banho de emoção.

É que não é só um dois em um (JLP e Porto) .. é três ... pois a foto também me tocou.

Aquele abraço

P.S. Sabes, para mim também é uam City of the blinding lights. É certo que de um modo não usual mas ainda assim é-o.

Adriana Oliveira disse...

:)))

Andreia Ferreira disse...

O que eu já procurei por este livro e nada... Mas pelo poema sobre o Porto parece ser mesmo muito bom. Como seria de esperar, aliás :)
*

~pi disse...

corpo

de cidade:

nus

olhos

curva(( mente