segunda-feira, dezembro 10, 2007

“O poema não tem estrofes, tem corpo, o poema não tem versos, tem sangue, o poema não se escreve com letras, escreve-se com grãos de areia e beijos, pétalas e momentos, gritos e incertezas."
*
José Luís Peixoto

»
«

«

.......HOJE EU SÓ QUERIA SER ALGO EM ALGO.................




6 comentários:

Beguinha disse...

Aqui encontro motivos para ser algo em alguém e em todos os lugares.

Maurette disse...

O nosso José Luís Peixoto, uma "perfeitura". O poema palpita, sussurra, pode gritar, falar com severidade ou calma, falar ao ouvido ou ao microfone. E escorrer no sangue das canções, que a Bethânia limpa das mãos com um pano de prato.

"Drama
e ao fim de cada ato
limpo num pano de prato
as mãos sujas do sangue
das canções."

Não quero limpar-me do sangue dos poemas, vivo por ele.

Beijo

isabel c. disse...

Feliz Natal, querida sombra :)

beijos

Rita disse...

ola! se me deres o teu e mail posso dizer-te como se postam imagens XL :D
é sempre delicioso vir aqui
bj

TrêsGatosMiaus disse...

Olá sou eu a Taregas do Bcrossing recebi o teu email... mas não te consigo enviar uma pm. Lógico que gostava de receber esses maravilhosos marcadores. manda-me o teu email privado para combinarmos a troca... sim tb te enviu uns quantos marcadores.

Beijocas

Cláudia / Taregas

blue kite disse...

As palavras do nosso menino ficam tão bem aqui. E tu sabesescolhê-las tão bem...

É do CAL? sabes, ainda não comecei a ler. Mas mal acabe o do MST ...

A tal vinda a Coimbra dele está difícil, não é?

Aquele abraço e que 2008 seja o melhor ano de sempre para ti!