quinta-feira, março 29, 2007

o TEMPO REVESTIU-SE DE TI.
CRUEL A MADRUGADA QUE
DESPERTA, INERTE.
SOAM SOLUÇOS DESVAIRADOS
DE COMPASSOS.

"E se não posso ter-te aqui,
ter-te-ei além
.
onde os barcos navegam sem vento...
ainda que não te tenha nunca..."
.
.

Maria José Quintela

3 comentários:

Letras de Babel disse...

o tempo já me revestiu de ti
e, desvairadamente
é assim que te tenho aqui


eu
assim


________________a navegar-me aqui...



bjs

RoSe_ disse...

tão belo minha amiga.. *

blue kite disse...

tu já sabes o que eu vou dizer, mas mesmo assim ai fica por que para mim é especial...

Time is a train
Makes the future the past
you are standing in the station
You face press againts the glass...