quinta-feira, dezembro 21, 2006

O Silêncio confirmado

Veneza 06Photobucket - Video and Image Hosting
@@Taken by Rose

..

.

..
"Silêncio.
Como se o momento em que alguém se preparasse para dizer uma palavra ficasse suspenso.Instantes a acumularem-se sobre esse tempo cada vez mais longo.A suspeita de que toda a eternidade existe dentro desse momento parado. E, se alguém deixasse cair uma pedra na profundidade desse silêncio, poderia esperar que passassem séculos, mas nunca iria ouvi-la tocar no chão e apenas ficaria livre no momento em que acreditasse que a pedra se tinha desfeito em tempo e em silêncio.

O número de mortos e o número de desaparecidos. Uma conversa que se ouve no autocarro enquanto se olha pela janela e não se consegue ver a paisagem que passa lá fora porque apenas se consegue ouvir aquela conversa de interjeições, de palavras inacabadas entre uma mulher e um homem.Milhares de crianças a fazerem as mesmas perguntas em todas as línguas do mundo.A hora certa marcada por apitos rectos, pedaços de rectas nos noticiários das estações de rádio.São catorze horas.São dezassere horas. São vinte horas em Portugal continental e no arquipélago da Madeira, menos uma nos Açores.O tom de voz dos políticos.Os comentários por telefone de pessoas que estão no outro lado do mundo.As imagens em movimentos na televisão.Um jornalista a dizer "uma história entre tantas outras".


E silêncio.Nem o movimento das ervas sob uma aragem.Nem, por exemplo, um olhar pela janela pousado na distância. Apenas uma cor opaca e constante.As formas nítidas e paradas de todos os objectoso.Finalmente nítidas no momento em que se tornam definitivas e inúteis .A solidão é feita de silêncio.As casas tinham tinham sido feitas de silêncio enão sabíamos.Alguém contou todos os segredos.Num momento sem palavras,alguém contou todos os segredos e ficou apenas o silêncio.
[...]
E silêncio. Como se os homens ou a terra fosem capazes de criar uma música que corresse dentro do silêncio, como vento invisível dentro do ar invisível.Nenhuma palavra e a ausência de cada palavra esculpida com silêncio.O significado daquilo que ninguém sabe dizer.Silêncio atirado de encontro às palavras .A distância inconcebível e insuportável entre nós e todos os outros.Pedras.Terra.Lama.E silêncio. Silêncio.Silêncio.
.
.
José Luís Peixoto in { suplemento do D.N. }

5 comentários:

blue kite disse...

aique lindo, ai que lindo! Estou sem palavras.

É que para além das palavras, tu sabes que agora tudo vai para além destas palavras.

JLP sempre

e para ti um abraço paertado, com carinho!

Anónimo disse...

Shhhh... (feliz natal menina C.]


paula.

A. disse...

...so quiet.
_______________________...






Dias cheios de paz Sopro.
Beijo da ana.

Marta Dias disse...

Com este comentário quebro o silêncio e desejo-te um grande, grande ano de 2007!!!!!!

beijocas tripeiras

Adriana Oliveira disse...

Obrigada amiga, por partilhares as palavras deste nosso deus da palavra ;) Beijo grande!