segunda-feira, julho 17, 2006

Em branco...


"não te procurei porque procurar-te
me daria a exacta dimensão da tua ausência"
@ in Lisbon 06

.


"mas talvez tu não saibas que não há um momento em que se tornam possíveis todas as impossibilidades"
+

Rodrigo G. de Carvalho _ A casa quieta

6 comentários:

A. disse...

Talvez por coincidência...

"Olha,escrevo para ti.Para que entendas que entendo todas as
impossibilidades.Escrevo-te,porque tenho a certeza absoluta que existem milhares de palavras que te poderia dizer.E algumas,poucas,
que nunca saberei como as dizer.
E serão essas as que pressentes em todas coisas que escrevo.
...E,depois claro sentam-se ao meu
lado coisas como a distância,a cronologia...e falo-te.Falo ao mundo que existem regras simples de
Beleza e de Pureza que o tornariam um local infinitamente melhor...
E no fundo,e no fim,a consciência de que talvez um dia...compreendas que não existe,de facto,coisa alguma que seja impossível.Muito menos o amor.Ou a dança de almas
unindo linhas que seguem paralelas."

...talvez até haja.mas eu também
já deixei de acreditar.

Musician disse...

Como sinto tanto cada palavra!
Adorei, muito.
Beijinho*

Klatuu o embuçado disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Sistermoonshine disse...

...como as folhas?

blue kite disse...

Sabia que andavas a ler o Rodrigo, mas não sabia que a escreita dele era tão .... digamos significativa. Um dia vou ter de por lá passar.

rose disse...

Alguém falou em folhas em branco? :P

Esse momento em que tudo é possível não basta na impossibilidade de todos os outros momentos.