domingo, setembro 25, 2005





À *

Apesar de os nossos caminhos já terem
andado mais paralelos do que até aqui
têm andado, sabemos sempre onde nos encontrar-mos.

15 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
* disse...

Há ruas muito difíceis de percorrer, enquanto sós, enquanto companhia, ou enquanto fuga. No entanto sei que por maior que seja o labirinto há paredes transparentes, janelas abertas nas casas desfolhadas, um só destino para todos os passos. Tu sabe-lo também*

TMara disse...

é bom qnd sabemos coisas como esta. Boa semana. bjs e;)

Anónimo disse...

Esse é o segredo, sem dúvida!

(old-mirror.blogspot.com)

Rita disse...

para ti, q gostas de quartos crescentes:
«Menina dos olhos doces
adormece ao meu cantar:
Tenho menina de trapos,
Tenho uma voz de luar...

Os meus braços são a lua
quando ela é quarto crescente:
dorme menina de trapos,
meu pedacinho de gente.»
Matilde Rosa Araújo

o que é melhor? caminhos paralelos muito perto um do outro, ou caminhos enviesados que se acabarão por cruzar um dia?
um beijo

BloodyMary disse...

Encontra-se sempre quando se quer!...
Quando a vontade é maior não existem barreiras intransponíveis!
Beijo*

Sistermoonshine disse...

Linhas perpendiculares... cruzam-se e depois seguem os seus caminhos diversos.

Espectro #999 disse...

Desencontros ...???
Acredito que temporariamente.
Pois estamos talhados para [...]

Beijocas e inté.

Anónimo disse...

Em todas as vidas há desEncontros...uns quase sempre a rondar a quase felicidade, outros apenas dificeis.
Enfim...

*
paula.

damadespadas disse...

Até as linhas paralelas se acabam por cruzar no horizonte.

Musician disse...

Isso é o mais importante! É a chave ;) Beijinho*

moon between golden stars disse...

Por vezes é bom que as linhas da vida se encontrem numa encruzilhada... se sempre andarem paralelas como poderia abraçar-te?...