domingo, setembro 25, 2005





À *

Apesar de os nossos caminhos já terem
andado mais paralelos do que até aqui
têm andado, sabemos sempre onde nos encontrar-mos.

quinta-feira, setembro 22, 2005

e de repente o mundo fechou-se
abriu-se o vento
perdeu-se a voz
e tu entraste
Cidades Unidas___________________
taken by me
.
.
Se fores pela direita
Olharei em redor
Se fores pela esquerda e descansares
Olharei em redor
.

O meu olhar há-de acompanhar-te
Como a poeira à volta dos teus pés
.

Se desceres à planície
E fizeres a tenda com o véu da mulher
Não desviarei o olhar
Não dividirei a túnica
.
Se fores pelo centro de ti mesmo
Tactearei
Abrirei a mão e estarás próximo
Basta respirares
E olharei em redor

:
.
Daniel Faria





sexta-feira, setembro 16, 2005


by «Francesca Woodman » [ver site]
:
:
hoje apetecia-me que alguém escandalosamente me dissesse
que está tudo bem;
que tudo vai correr bem...
que me mentisse escandalosamente bem...
mas que eu
escandalosamente acreditasse.

segunda-feira, setembro 12, 2005

tenho. medo.de.me. sentir .e. aperfeiçoar. a. palavra. silêncio. dentro. de. mim.



Olhar sobre Gaia



Ode à noite (inteira)
:
Gosto do momento, exacto ou nem por isso,
em que se torna possível colar cartazes
nas paredes ao lado dos meus ombros (espero
o autocarro, vejo devagar, sorrio). Mas
gosto, sobretudo, dos cães quase sem dono
que roçam as esquinas, pisando restos de garrafas
- ou das pessoas que desconheço.
:
:
Manuel de Freitas


domingo, setembro 11, 2005

"Wow. After I jumped, it ocurred to me. Life is perfect. Life is the best, full of magic, beauty, opportunity, and television. And surprises...lot's of surprises, yeah. And then there's the best stuff, of course. Better than anything anyone ever made up, 'cause it's real."




in The Million Dollar Hotel



sexta-feira, setembro 02, 2005




taken by me
CAIS DE GAIA


Atrás de meus olhos
dorme uma lagoa profunda
e o céu que trago na mente
meu vôo jamais alcança.
Há no meu corpo um incêndio
que queima sem esperança
a própria terra que piso
vira um abismo e me come.
[...]
.
.
Ferreira Gullar
.
.
.
E porque escolhi eu um poeta brasileiro?
Pelo simples facto de que me foi dado a conhecer
por uma amiga também ela da mesma pátria
do poeta (beijim bigalhão pra ti Cris e outro pró Pablo)
e porque com este post,
quero dar um abraço bem forte à Lili *