quinta-feira, agosto 25, 2005

when loves come to town
Alvalade 2005 @ U2
.
.
Alguém pode converter-se numa presença lancinante nas nossas vidas..
Quando alguém nos acontece, transfigura o próprio sentido da nossa existência.
[...]
O amor chega-nos com doçura, é doce.
Mas o perigo do amor é que traz consigo também a amargura.
A amargura é a presença do fim.
[...]
O amor é um animal selvagem que chega até nós em silêncio.
Aloja-se em nós e ocupa cada ponto do nosso corpo,mais,
toda a nossa vida. O seu poder de contaminação
é total. Basta um só olhar. O amor é esse conflito permanente
e completo : liberta e agarra, é doçura e amargura, refaz e desfaz,
ressuscita e adormece, faz-nos sonhar e confronta-nos com a realidade pura e dura,
dá à luz. Mas também tem o poder de nos matar.
No amor oscilamos entre tudo poder ser e nada poder ser,
a impossibilidade de tudo.
É este o amor, é esta a nossa vida:
.
:
Pedro Paixão in Ladrão de fogo

3 comentários:

Rita disse...

imagem linda.. pena ter sido em alvalade ^^ quanto ao texto, simplesmente fantástico, o amor é tudo isso, e mais, e mais, e mais... Vermelho sobre o preto**

jls disse...

Quanto à imagem... acho que já estamos conversados ;) Quanto ao texto, deves ter um dom qualquer, acertas sempre em cheio ;) Queria também dizer-te aqui - porque onde estou não o posso fazer noutro lado - que recebi os teus "mimos" de U2 que, desde já, agradeço. Ainda não tive oportunidade de os ver, nem sequer de os descarregar.
Depois conto-te as historias desta minha semana, por um lado "infernal" - mm pra quem, como eu, ainda está de férias - por outro rica e vibrante. Bjs.

blue kite disse...

essas 2 horas e 15 minutos em Alavalde foram uma overdose de emoção sem fim!!!

Bj