sábado, abril 02, 2005

Vamos lá contar as armas
tu e eu, de braço dado
nesta estrada meio deserta
não sabemos quanto tempo as tréguas vão durar...





há vitórias e derrotas
apontadas em silêncio





no diário imaginário
onde empilhamos as razões para lutar!





Repreendo os meus fantasmas
ao virar de cada esquina





por espantarem a inocência
quantas vezes te odiei com medo de te amar...





vejo o fundo da garrafa
acendo mais outro cigarro
tudo serve de cinzeiro
quando os deuses brincam é para magoar!





Vamos enganar o tempo
saltar para o primeiro combóio
que arrancar da mais próxima estação
Para quê fazer projectos
quando sai tudo ao contrário?
Pode ser que, por milagre,
troquemos as voltas aos deuses





Entre o caos e o conflito
a vontade e a desordem
não podemos ver ao longe
e corremos sempre o risco de ir longe demais





somos meros transeuntes
no passeio dos prodígios
somos só sobreviventes
com carimbos falsos nas credenciais





Vamos enganar o tempo...



clicar aqui:
«JorgePalma»











E POR VEZES





E por vezes as noites duram meses.
E por vezes os mares oceanos.
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos. E por vezes




encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos.
E por vezes fingimos que lembramos.
E por vezes lembramos que por vezes




ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos corpos encontramos.




E por vezes sorrimos ou choramos.
e por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se evolam tantos anos.




______David Mourão Ferreira_____________
Lido por
Jorge Palma
.e
por vezes é preciso celebrar a loucura que nos aviva
a alma
e engrossar o frágil momento de nos darmos.
e
por vezes é-se tão desigual, e tão
respeitosamente digno
como tu,
esta noite foste, ao declamar este espantoso poema.
O meu obrigada ,Palma













4 comentários:

Anónimo disse...

Muito bonito o poema do Mourão Ferreira. É pena que o Palma aqui por terras alfacinhas não nos tenha contemplado com tamanha beleza.

RoSe_

paula. disse...

[with this post you have made me cry]

*

João Garcia Barreto disse...

E dizes que estava ébrio... E contempla-te com tamanha beleza...

sombr|A|rredia disse...

não ébrio...
mas sim, respeitosamente alegre ;)