terça-feira, abril 05, 2005

Apesar de hoje não estarmos em conexão,
é p´ra ti estas linhas Sister *
@by Sten
Ligo-te logo
sem o mínimo intuito
de me emaranhar nos teus nomes,
predicados e sonetos sem rima,
e tardes de neblina
que enxugas com a ternura
que sempre me disseste que te era cara.
Sim,
podes esperar que eu ligo-te logo
contando-te de olhos cerrados
todos os meus inúmeros medos
que me ensombreiam para ir ao teu encontro
na breve precaridade dos dias
que consegues dissolver na poesia
sem que para isso inventes desculpa para a tua ausência.
[apesar de...]
Sim.
Ligo-te logo...
Fev. 05

3 comentários:

Sistermoonshine disse...

Agradeço-te muito o poema, e mais do que o poema, agradeço-te a lembrança, de mim, do meu blog, de conversas avulsas, poemas perdidos, deitados ao vento…
“Ligo-te logo” é uma frase triste, aliás como “Era de noite e chovia…” também é. Quando dizes “ligo-te logo” fica a dúvida, quando é logo? Será mais tarde, será depois, será nunca?...Seja quando for será provavelmente sempre tarde demais.
“Era de noite e chovia…” apenas te diz que lá quando foi era de noite e que nessa noite chovia, coisas simples, o resto fica à tua imaginação.

PS: a foto é muito, muito bonita. Obrigada.

Folha|em|Branco disse...

Mesa|do|canto

paula. disse...

Sombra, este foi com toda a certeza um momento inspirado...mas tb saído do coração. Esta seria a minha aposta, caso apostásse alguma coisa na minha vida.
Está belíssimo :)

paula.

reciprocidades.blogspot.com