sábado, março 05, 2005

Embarquei nesta sala esperando que escorressem papeis brancos suficientes para que me sossegassem mas só espantei ainda mais as certezas..
Fiquei com medo dos focos que iluminava demais o real. Dos focos que sobreviviam sem a palavra não domada do medo ou da dúvida.Tive medo de mim. De ti. De tudo o que passou e que ainda está por vir e que eu terei que sublinhar para ler depois.
"No palco, e junto do palco, e em todos os cantos da sala,encontro sombras. [...]
Compreendo que hoje tinha que voltar"

2 comentários:

paula. disse...

Eu muitas vezes para entender o que se passa realmente comigo só escrevendo....
Esta mania de escrever tudo, como se escrevendo se tornásse menos perigoso, como se escrever fosse libertar-me...
Mas não é, na maioria das vezes é sobretudo render-me a mim, às evidências e ao que preferia que não fosse verdade.
Depois, depois de escrever, sublinhar o mais importante, o essencial e o apenas acessório e dps talvez ainda sobreviver ao que escrevo. A mim.

beijinhos C. fica bem.

Sistermoonshine disse...

A luz brilhante sobre o palco ou a tela onde pintas ainda quente um desejo...