sábado, novembro 06, 2004

Só por existir
Só por duvidar
Tenho duas almas em guerra
E sei que nenhuma vai ganhar


Só por ter dois sóis
Só por hesitar
Fiz a cama na encruzilhada
E chamei casa a esse lugar


E anda sempre alguém por lá
Junto à tempestade
Onde os pés não têm chão
E as mãos perdem a razão


Só por inventar
Só por destruir
Tenho as chaves do céu e do inferno
E deixo o tempo decidir


E anda sempre alguém por lá Junto à tempestade
Onde os pés não têm chão
E as mãos perdem a razão

Só por existir
Só por duvidar
Tenho duas almas em guerra
E sei que nenhuma vai ganhar
Eu sei que nenhuma vai ganhar



Jorge Palma



E vale a pena dar uma espreitadela ao site deste senhor...

2 comentários:

Cimbalina disse...

Acertaste em cheio na minha preferida do Palma.
Bom gosto o teu!
:-)

João Pede Feijão disse...

Oi, desculpe-me pela invasão,
mas é que precisava te saudar por tão belo espaço...

"Esta paisagem? Não existe. existe espaço/vacante, a semear/de paisagem retrospectiva."

Carlos Drummond de Andrade
( trecho de"Paisagem: como se faz")