sexta-feira, novembro 05, 2004


para onde?



Abriste a persiana e fizeste o que eu te pedi Ss?





"A cidade está deserta
E alguém escreveu o teu nome em toda a parte
Nas casas, nos carros, nas pontes, nas ruas
Em todo o lado essa palavra
Repetida ao expoente da loucura
Ora amarga! ora doce
Pra nos lembrar que o amor é uma doença
Quando nele julgamos ver a nossa cura... "

2 comentários:

João Garcia Barreto disse...

Incontornavelmente, pode-se afirmar que o Manuel Cruz é um extraordinário letrista...

Cimbalina disse...

Claro que sim, que fiz o que me pediste!
"É do nono andar, sim! Quis pedir ajuda, mas a lingua estava morta! Sei lá, parei de olhar..."