domingo, novembro 28, 2004

E porque há sempre restos de palavras que ficam sós no conquistar da estrada, e que não as dizemos por desdém ao tempo.
E porque há sempre pinhais mais frescos no decorrer de uma viagem, que acabamos por guardar no nossso lado esquerdo.
Eu conheci essa viagem e não me deste tempo de te amar...
obrigada mesmo assim *






Trago dentro do meu coração
Como num forte que não se pode fechar de cheio
Todos os lugares onde estive
Todos os portos onde cheguei
________Álvaro de Campos

1 comentário:

João Garcia Barreto disse...

Belo itinerário... Como sabes, todas as noites sou viajante, sobrevoo o Mundo...